Respeitar e ser respeitado.

Estava pensando em como me expressar sobre tantas notícias sobre intolerância, violência e sentimento de superioridade que vi nesses dias. Sempre fico pensando “onde foi que erramos?”, numa tentativa de entender se um dia conseguiremos viver felizes e em paz, considerando as pessoas apenas seres humanos e anulando as diferenças.

Então, minha mãe resgatou esse texto que escrevi há quatro anos e que é sempre atual, por ser o que precisamos e o que acredito. Não editei nada, mas espero que hoje eu escreva muito melhor do que há quatro anos.

 

Um modo de ser feliz: respeitar e ser respeitado.

Parem para pensar: Todos os problemas da sociedade estão acontecendo porque as pessoas não se ouvem. Ninguém quer se dar ao trabalho de ouvir a pessoa do lado, refletir sobre e aí, decidir se concorda ou não. Não me importa o que você pensa, aliás… Que se dane você também!

Você diz “Fulano se suicidou? Que horror! Não tinha Deus no coração.” Já parou para lembrar quantas vezes essa pessoa te pediu socorro, te chamando para se encontrarem para bater papo? Mas claro que você não poderia reservar preciosas duas horas do seu dia para ir encontrar aquele amigo.

Você já reparou quantas vezes cometemos erros sérios ou banais, simplesmente porque não ouvimos o que as pessoas nos disseram?

E em quantas pessoas afastamos de nossas vidas, porque achamos que sabemos o que estamos fazendo e não queremos ouvir ninguém?

Quantos amigos perdemos porque não demos atenção as suas conversas e lhe dissemos “Aff! Você fala demais!”. As pessoas se magoam.

Nos amores que nos tiraram de suas vidas, e nos forçaram a sair da deles, só porque estavam cansados de nos dizer algo errado que acontecia e nós, simplesmente, não ouvimos?

Já pensou que as pessoas ficam doentes porque querem falar? Quantos vários casos existem de pessoas que estão passando mal, chegam no hospital, conversam com a enfermagem e mesmo sem tomar nenhuma medicação, acabam melhorando? Querer ser ouvido dá gastrite!

Se deu conta que nem todas as pessoas que te param na rua para pedir dinheiro, querem mesmo dinheiro? Ouça sua história. Ela quer dinheiro para voltar para a cidade natal… Por quê? Como ela se chama? Tem família? Tem sonhos? Medos?

Já pensou que você pode se identificar com a história dos outros?

Numa época tão individualista em que estamos vivendo, ninguém quer ouvir o outro. Até dentro de casa existem pais que não conhecem seus filhos e filhos que sequer imaginam como são seus pais…

Que mal há em olhar nos olhos enquanto conversa? Ouvir as pessoas e mesmo que não concorde, respeitá-las.

Ninguém pode não gostar de figo sem nunca tê-lo comido. Ninguém pode discordar de uma idéia, sem nunca tê-la conhecido.

Logo tudo isso aqui acaba. A vida acaba! Você pode ter cinco carros, status, casa na praia, um bom apartamento e muito dinheiro, mas nada disso vai te acompanhar para sempre. Tudo que você leva consigo pelo resto da vida: experiências, experiências, experiências, família e amigos.

Nenhum problema é tão grande que não possa ser resolvido. Às vezes, quando alguém nos conta seus problemas, nós temos meios de ajudar. Outras vezes, nós é quem precisaremos de ajuda. E aí, quem vai nos ouvir?

 

Deixe uma resposta